-->

segunda-feira, 1 de fevereiro de 2010

Saber morrer, saber viver!

"Compreenderás que esta é a mais útil das ciências e que se adianta a todas as demais, pois com ela se aprende a morrer. Saber que morrerá, isto é comum a todos os homens; da mesma forma que não há homem que possa viver para sempre, tenha ele esperança ou confiança nisso, mas encontrarás bem poucos que tem essa habilidade de morrer... Eu te revelarei o mistério dessa doutrina; a qual muito te beneficiará para o início da saúde espiritual e para uma estável fundamentação de todas as virtudes."
Orologium Sapientiae

"Contra a sua vontade ele morreu porque não aprendeu a morrer. Aprende a morrer e aprenderás a viver, pois ninguém aprenderá a viver se não houver aprendido a morrer."
"A Viagem de Todas as Viagens: Ensina o Homem a Morrer", Livro da Arte de Morrer.

"Tudo que existe aqui, existe lá; o que existe lá, existe aqui. Aquele que estranha o aqui, encontra morte após morte. Isso só pode ser compreendido através da mente e, então, não haverá mais estranheza aqui. Aquele que estranha o aqui vai de morte em morte."
Katha-Upanishad, IV, 10-11 (Tradução inglesa de Swami Sharvananda.)

3 comentários:

Humano disse...

Quando se olha e experiencia a vida por meio da perspectiva da morte, podemos melhor valorizá-la, vendo cada dia como uma dádiva e uma bênção a ser vividas com aceitação e alegria.

Camilla para os menos íntimos... disse...

gostei do que vi!
prazer sou Camilla. Se quiser esteja a vontade para me visitar também, já sou seguidora.

beijos no coração.
axé!

http://camillapreta.blogspot.com/

Sônia Maria disse...

Olá, Ana!
Fiquei muito feliz com a sua visita e seu comentário atencioso e carinhoso.
Muito interessante sua matéria sobre o livro da arte de morrer. Muito Obrigada pela indicação.
Abraços com carinho,
Sônia Maria

Postar um comentário