-->

terça-feira, 29 de junho de 2010

Morrer antes que você morra. - Eckhart Tolle


Uma das mais poderosas práticas espirituais é meditar profundamente sobre a mortalidade das formas físicas, inclusive da sua. Isso se chama: morrer antes que você morra. Vá fundo nisso. A sua forma física está se dissolvendo, é nada. Então surge um momento quando todas as formas mentais ou pensamentos também morrem. Mas, você ainda está lá - a presença divina que você é: radiante, completamente consciente. Nada que é real morre de verdade, somente os nomes, as formas e as ilusões. Nesse nível profundo, a compaixão se torna um remédio no sentido mais amplo. Nesse estado, a sua influência curativa se baseia não no fazer, mas no ser. Todas as pessoas com quem você mantiver contato serão tocadas pela sua presença e afetadas pela paz que você emana, quer elas estejam ou não conscientes disso. Quando estiver inteiramente presente e as pessoas à sua volta tiverem um comportamento inconsciente, você não vai sentir necessidade de reagir. A sua paz será tão grande e profunda que tudo que não for paz desaparecerá nela, como se nunca tivesse existido. Isso quebra o ciclo cármico de ação e reação. Os animais, as árvores, as flores vão sentir a sua paz e reagir a ela. Você ensinará através do ser, através da demonstração da paz de Deus. Você passará a ser a "luz do mundo", uma emanação da pura consciência, e assim eliminará a causa do sofrimento. Você eliminará a inconsciência do mundo.
Eckhart Tolle

2 comentários:

Unknown disse...

É preciso que morra nosso pensar para podermos entra no nosso interior para quê se afro ré o quê está nas profundezas do ser quê é a verdadeira paz divina está sim é a verdadeira e eterna o eu sou o que sou ou seja o construtor do nosso corpo aquele que nunca nasceu e jamais morrerá

Gilberto Geroto disse...

É preciso que morra nosso pensar para podermos entra no nosso interior para quê se afro ré o quê está nas profundezas do ser quê é a verdadeira paz divina está sim é a verdadeira e eterna o eu sou o que sou ou seja o construtor do nosso corpo aquele que nunca nasceu e jamais morrerá

Postar um comentário